Pavei Armas

20 de junho de 2022

Controle de Cervo Axis é regulamentado no RS

Espécie exótica invasora pode comprometer ecossistemas naturais, saúde pública e gerar perdas econômicas

Uma espécie exótica invasora que pode comprometer os ecossistemas naturais, à saúde pública e gerar perdas econômicas na pecuária. Assim é definida a presença do Cervo Axis no território do Rio Grande do Sul e agora normas específicas para o manejo foram adotadas pelo Estado.

O controle populacional desta espécie, por ser exótica invasora, está regularizado por meio da Portaria SEMA n.º 109/2022. De acordo com o documento, a principal preocupação está relacionada às populações de cervos nativos. Segundo pesquisadores do tema, os cervos invasores, como Axis, afetam questões genéticas dos cervos nativos e, além disso, ainda existe a exclusão de forma competitiva nas áreas de pasto e o risco de agressões entre as espécies.

No sul do Brasil, esta exclusão competitiva pode representar uma ameaça, como já apontado em estudo, para o veado-campeiro, que está na lista de extinção no país. Mais um impacto negativo é a vegetação ser modificada nas áreas invadidas pelo Cervo Axis, diminuindo a riqueza e abundância de plantas, fator que atinge a economia, os ecossistemas naturais e indiretamente a sobrevivência de outros animais.

Outro ponto preocupante é a possibilidade de transmissão de doenças devido à falta de controle territorial e, consequentemente, sanitário.

DETALHES DO CONTROLE

A Portaria SEMA n.º 109/2022 estabelece as normas e os procedimentos para a atividade de controle populacional do Cervo Axis nas Unidades de Conservação Estaduais, sejam em áreas públicas ou privadas. Interessados em atuar neste controle devem realizar cadastro no Programa Estadual de Controle de Espécies Exóticas Invasoras e se submeter a um treinamento a ser oferecido pelo próprio programa.

O formulário de cadastramento estará disponível no site da Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Infraestrutura do Rio Grande do Sul (SEMA). O controle populacional poderá ser realizado por abate em espera ou armadilha. O controlador assumirá a responsabilidade de não comercializar os produtos e subprodutos obtidos por meio do abate.

Não é permitido reproduzir em qualquer meio privado, social ou eletrônico, registros de imagens, sejam eles fotográficos, de vídeo ou audiovisual, do abate ou de atos posteriores a este, exceto para fins de relato e comprovação junto ao órgão fiscalizador.

SOBRE O CERVO AXIS

Originária da Ásia, essa espécie Axis Axis foi introduzida em outros continentes, mas chegou até o Brasil cruzando as fronteiras de países como Uruguai, conforme Guia de Manejo EEI de 2019 do Ministério do Meio Ambiente do Brasil.

Conhecido também como chital ou cervo axis, este é um cervídeo de porte médio com altura de 80 a 100 cm até o ombro e um comprimento (excluindo a calda) de 119 a 185 cm para machos, e 67 a 87 de altura e 114 a 147 cm de comprimento para fêmeas.

Adultos apresentam pelagem marrom avermelhada com manchas brancas. Na época de acasalamento, os machos apresentam um par de galhadas em forma de lira com três pontas. Os machos são maiores que as fêmeas pesando, na Índia, entre 65 e 90 kg, enquanto as fêmeas pesam de 45 a 60 kg.

a
x